Foto: Pexels
Português

Especialista defende regulamentação de novas plataformas

5 MIN READMay 13, 2019


O consultor Ricardo Mader, managing director do JLL Hotels & Hospitality Group, entende como positivo o fato de o Brasil estar debatendo a regulamentação de plataformas de locação, como o Airbnb. Um projeto de lei do Senado (PLS nº 2474/2019) – que visa regulamentar a locação de imóveis residenciais por temporada feita através de aplicativos – está em discussão no Congresso. A matéria foi encaminhada na última quinta-feira (09 de maio) para para audiência da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

"Vejo com bons olhos que o Brasil esteja preocupado com o tema. A indústria melhorou bastante e a demanda [por serviços de hospedagem] deve crescer.  Impulsionada por São Paulo, a economia já está se recuperando. E, se não presenciarmos um 'voo de galinha', tende a ser um período de expansão [da taxa da ocupação]", avalia o especialista.

Mader conversou com a equipe de reportagem do GRI Hub logo após participar do painel de abertura do GRI Hotéis Brasil 2019, evento que reuniu os líderes da indústria hoteleira no dia 07 de maio, para analisar desafios, oportunidades e investimentos nesse segmento imobiliário.

Sobre a proposta de regulamentação, ele acredita que é necessária para avanços no mercado. "Em todos os países, as grandes cidades estão caminhando para esse direção. O ponto é saber como irá se desenrolar [no Congresso] e buscar aprender com os outros [Estados que já possuem legislação similar]."
 

Avanços legislativos

Um dos primeiros cases da economia colaborativa, o Airbnb completou dez anos de existência em 2008. A ideia partiu de dois estudantes americanos – Brian Chesky e Joe Gebbia – e, logo, tornou-se um sucesso em todo o mundo. O tema é controverso e a plataforma já foi regulamentada em algumas capitais mundiais, como Nova York e Paris. Ao mesmo tempo, chegou a ser proibida na espanhola Palma, nas Ilhas Baleares.

No Brasil, Caldas Novas (GO) foi o primeiro município a regrar essa tecnologia. A Lei Complementar 99/2017 entrou em vigor em 2018 e determinava, entre outros pontos, a declaração de sites e aplicativos ao poder público sobre o recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS) por locação.

A medida federal, que deve ser analisada na CAE em breve, altera a Lei nº 8.245/1991 "para disciplinar a locação de imóveis residenciais por temporada por meio de plataformas de intermediação ou no âmbito da economia compartilhada", diz o texto de autoria do senador Angelo Coronel (PSD/BA).

"Como hoteleiro, sempre fui favorável [a uma lei sobre o tema]. A indústria é interessante, mas não é justo com os players do mercado, que continuam pagando [os devidos] impostos. Tendo uma regra clara, seja ela qual for, o setor hoteleiro se adapta, mas é importante saber com quem se está concorrendo", opina Ricardo Mader, da JLL.

Como já abordado em matéria da GRI Magazine Real Estate, para Mader, a plataforma online não chega a atingir o mesmo público dos hotéis. "A hotelaria caminhou rápido [frente aos avanços tecnológicos] e o Airbnb não tira nosso sono. Obviamente, é um concorrente e é preciso saber lidar com ele, mas, a cada dia, os hotéis apresentam inovações e tecnologias, trazem uma nova experiência ao hóspede. O Airbnb atende quem busca apenas o menor preço."

Segundo o consultor, além de não apresentar os mesmos serviços, o site de intermediação entre proprietários e locatários atende a um perfil de consumidor econômico, que viaja apenas ao encontrar um meio de transporte e uma hospedagem acessíveis. Outro ponto é o tipo de viagem, "geralmente, em grandes grupos – famílias ou amigos –, a lazer", complementa.
 

A reinvenção em um mercado tradicional

Outro ponto abordado pelo especialista é o fato de que, diante das mudanças contemporâneas, também o Airbnb terá de acompanhar esse compasso. "O próprio Airbnb precisará se reinventar. O modelo que eles criaram necessita evoluir e, com a regulamentação, isso será necessário. E eles já estão fazendo isso, com o Airbnb Hotel", aponta.

No último mês, em comunicado à imprensa, o Airbnb anunciou uma parceria com o desenvolvedor RXR Realty para criar "uma nova categoria de alojamento urbano", o Airbnb Hotel, em Nova York.

"Quando lançamos o Airbnb há mais de dez anos, ficou imediatamente claro como as pessoas, abrindo suas casas [para locação], poderiam fazer os hóspedes se sentirem locais. Com essa nova parceria com a RXR, esperamos oferecer a mesma sensação única, na forma de novos espaços no coração de Manhattan e em outros lugares, para que todos possam desfrutar de uma experiência autêntica em Nova York", diz Brian Chesky, cofundador e CEO da Airbnb, na nota.

Ainda na mensagem, as empresas informam que o primeiro empreendimento será inaugurado no 75 Rockefeller Plaza, um arranha-céu no centro da ilha que foi originalmente construído como uma extensão norte do Rockefeller Center. Outras propriedades também estão sendo analisadas para a expansão da parceria.

 

GRI Residencial Brasil 2019

 Revoluções tecnológicas e o uso da tecnologia a favor do mercado imobiliário são temas do GRI Residencial Brasil 2019. A conferência, que reunirá os principais incorporadores desse ramo imobiliário, acontece em 18 de junho, em São Paulo. 

Entre os principais temas do evento, estão o impacto da economia compartilhada nos empreendimentos imobiliários, o futuro do segmento econômico e as perspectivas para funding e crédito imobiliário. Para mais informações, acesse o site do evento.  

 

 

Related News
←  SHARE
Real Estate
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message