Português

Como está o humor imobiliário após um ano de Bolsonaro?

4 MIN READNovember 22, 2019

Há um ano, Jair Bolsonaro era eleito presidente da República, resultado que despertou reação imediata do setor imobiliário, de sensível ampliação de otimismo. A lua-de-mel progrediu até o primeiro trimestre de 2019, e depois o humor do empresariado oscilou, refletindo frustração de expectativas em alguns aspectos e momentos. Agora que o governo federal vai completar seus primeiros 12 meses, como está o ânimo dos líderes do mercado? E o que esperar para 2020?

O Termômetro do GRI Club Real Estate Brazil consultou, em novembro, mais de 200 altos executivos e investidores imobiliários para traçar esse cenário. Os dados mostram que, na comparação com um ano atrás, há melhora em indicadores como disposição para investimento e projeção de desempenho setor. Por outro lado, observa-se piora nas perspectivas para a macroeconomia e na avaliação quanto ao impacto da gestão Bolsonaro sobre os negócios.

Apetite para investimentos

Agora, 71% dos consultados pelo GRI dizem que suas companhias estão investindo e/ou ampliando sua atuação. No fim de 2018, logo após a conclusão do processo eleitoral, 64,9% afirmavam o mesmo. Em fevereiro passado, essa fatia chegou a ser superior (76,5%), numa fase que respondeu pelo pico de toda a série histórica do Termômetro, iniciada em 2015.

Alvo direto dos aportes de capital, os segmentos tidos como mais atrativos atualmente são residencial, galpões, escritórios e loteamentos, o que representa uma dança-das-cadeiras com relação às preferências de 12 meses antes. Ao longo desse ano, imóveis industriais e logísticos e escritórios subiram posições no ranking, ao passo que loteamentos desceram.

Quando questionados sobre os números de suas empresas nos 12 meses pela frente, 85,1% dos empresários ouvidos pelo GRI relatam aguardar evolução, frente a 72,4%  há um ano – um avanço, mas, novamente, aquém da realidade de fevereiro (87,4%). No que toca ao mercado imobiliário como um todo, a opinião é semelhante: 82,1% apostam em melhora versus 68,8% um ano antes. 

O novo governo e os negócios

O Termômetro do GRI também perguntou diretamente sobre os efeitos do governo Bolsonaro sobre os negócios. À época da eleição, 85,1% apontaram que o resultado do pleito tinha efeitos positivos. Hoje, 72% classificam o impacto da nova gestão como favorável, uma queda de 13 pontos percentuais.

Quando o assunto é a economia nacional, 87,4% dizem esperar melhora – razoável ou forte – nos próximos 12 meses, abaixo dos 93,1% de um ano atrás. 

Confira mais detalhes do Termômetro do GRI Club Real Estate – edição novembro/2019:


Perspectiva de desempenho da economia brasileira nos próximos 12 meses

Tabela1
 

Apetite para investimentos relatado pelos executivos e empresários consultados

Tabela2
 

Expectativa de resultados da corporativos nos próximos 12 meses

Tabela3
 

Expectativa de desempenho do mercado imobiliário nos próximos 12 meses

Tabela4
 

Segmentos imobiliários que oferecem as melhores oportunidades neste momento

Tabela5
 

Impacto do novo governo federal e das novas diretrizes econômicas sobre os negócios
Tabela6

*Impacto da eleição

A agenda do GRI Club Real Estate em 2020

O GRI Club Real Estate preparou uma série de encontros no Brasil em 2020. A agenda anual já está disponível e inclui os principais segmentos imobiliários do País, como residencial, loteamentos, escritório, shopping center & varejo, industrial & logística e hotéis. Confira o que vem por aí.

Related News
←  SHARE
Real Estate
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message