Crédito: GRI Club
Português

Projetos de infraestrutura na América Latina atraem chineses

4 MIN READAugust 07, 2019
 Projetos de infraestrutura de países da América Latina despertaram o interesse de players chineses no GRI China-Latam Infra Summit, conferência que reuniu nestas segunda e terça-feira (05 e 06 de agosto), em Pequim, cerca de 180 executivos e representantes públicos para analisar potenciais oportunidades de negócios entre as duas regiões. 

"Notamos que o apetite chinês continua grande, não apenas por energia, um segmento que já conta com forte presença chinesa, mas também rodovias, ferrovias, portos, mobilidade urbana e saneamento, setores que se mostram cada vez mais interessantes, principalmente em meio à Belt & Road Initiative", diz Pedro Nicolau, líder global do GRI Club para o setor de Infraestrutura. 

Considerada a Nova Rota da Seda, a Belt & Road Initiative (BRI) é um plano de desenvolvimento do setor de infraestrutura global elaborado pelo governo chinês para conectar a China ao restante do mundo. Anunciada em 2013 pelo presidente Xi Jinping, a BRI, ano a ano, vem incorporando novos países e projetos.

"Os participantes do summit puderam entender os avanços realizados via BRI e o potencial chinês para o desenvolvimento de projetos de infraestrutura", pontua Nicolau. 

Com a participação de Carsten Hasbach, diretor da Siemens China para a BRI; Harrison Jia, sócio da DeHeng, e Xiaoping Jiao, diretor-geral da China PPP Center, o GRI China-Latam Infra Summit trouxe um debate sobre os próximos passos da iniciativa. 

"Ao longo desses dois dias, players que já atuam ou possuem interesse pela região puderam analisar os pipelines de projetos de países da América Latina. Foi um momento importante para a troca de experiências, em particular para que os executivos latino-americanos tivessem um contato mais próximo com os chineses", complementa Pedro Nicolau. 

O primeiro dia do evento começou com um painel dedicado às relações entre China e América Latina, com foco especial no Brasil. Participaram da abertura Paulo Estivallet de Mesquita, embaixador brasileiro em Pequim, os governadores de São Paulo e Piauí, João Doria e Wellington Dias, respectivamente, e Lu Pengqi, vice chairman do Conselho para Promoção do Comércio Internacional Chinês (CCPIT).

A ocasião foi oportuna para que Doria e Dias apresentassem o portfólio de projetos de seus estados. 

Oportunidades em São Paulo

Considerado uma das prioridades do governo estadual, o programa de desestatização paulista engloba cerca de 220 projetos. A licitação para a primeira concessão rodoviária da atual gestão, do lote Piracicaba-Panorama, foi lançada em julho. A concorrência internacional prevê investimentos de R$ 14 bilhões em obras a serem realizadas ao longo de 30 anos de contrato.

Outro tema que atrai a atenção do mercado é o modelo que será proposto para a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). 

Integrante da comitiva paulista na nação asiática, Henrique Meirelles, secretário de Fazenda e Planejamento de São Paulo, reiterou que o modelo depende do novo marco regulatório do saneamento, cujo projeto de lei nª 3261/2019 está em discussão no Congresso. 

Com uma nova medida para esse setor, pode "ficar claro que a alternativa de privatização, que é a mais atraente para o Estado do ponto de vista de valor, [é possível] ou não. Se mantidas algumas das condições do marco regulatório atual, a melhor opção é a capitalização da empresa com a manutenção do controle do Estado", disse ele, em coletiva de imprensa, após o encontro do GRI Club. 

“Estamos bastante satisfeitos com o primeiro dia de nossa missão à China. Hoje, participamos de reuniões importantes e promissoras para São Paulo. Um delas foi com Chen FengJian, presidente do CRCC, um dos maiores grupos de construção ferroviária da China, e pudemos apresentar nosso projeto de desestatização e infraestrutura“, comentou Doria, em nota oficial. A delegação do mandatário continua nesse país até o próximo domingo (11 de agosto). 

Projetos piauienses 

O Piauí, por sua vez, levou a Pequim uma carteira com cerca de 30 projetos, incluindo oportunidades nas áreas de saneamento, ferrovias e energias renováveis. "Quando olhamos a China, vamos falar de grandes investimentos, pois, provavelmente, serão os que chamarão mais a atenção", disse ao GRI Hub o governador Wellington Dias antes da viagem. 

"Entre as oportunidades que oferecemos, estamos trabalhando parcerias público-privadas no sentido amplo – diferentes modalidades, como concessões e built to suit. Temos uma carteira de aproximadamente R$ 7 bilhões, dos quais R$ 2,4 bilhões já em contrato e em execução, e as demais áreas agora em processo de concorrência", continuou ele. 

Próximas etapas do evento

A 4° edição do GRI China-Latam Infrastructure Summit & Week termina nesta sexta-feira (09 de agosto). Neste ano, além da conferência GRI China-Latam Infrastructure Summit, a edição conta com uma agenda de reuniões estratégicas e visitas técnicas (China-Latam Week Experience) em Xangai, entre quarta e sexta-feira (07 a 09 de agosto).
 

Infra Brazil GRI 2019

Infra Brazil GRI 2019

Executivos da iniciativa privada e os representantes do setor público voltam a se reunir no Brasil, no Infra Brazil GRI 2019. A edição deste ano ocorre nos dias 30 e 31 de outubro.

Entre os participantes confirmados, estão os ministros Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Bento Albuquerque (Minas e Energia) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União). Confira a programação e como participar.
Related News
←  SHARE
Infrastructure
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message