Crédito: Pexels
Português

Por dentro do Centro de P&D da Huawei na China

6 MIN READAugust 16, 2019
Líder na disputa pelo acesso à rede 5G – com um portfólio de rede de acesso por rádio (RAN) considerado o mais robusto entre as companhias avaliadas em estudo da consultoria GlobalData em 2019 –, a gigante chinesa Huawei foi o ponto de partida da GRI China-Latam Infrastructure Week 2019, semana de visitas técnicas e reuniões estratégicas organizadas pelo GRI Club Infra no país asiático. 

A programação integrou o GRI China-Latam Infrastructure Summit & Week 2019. Neste ano, a agenda incluiu uma grande conferência, o GRI China-Latam Infrastructure Summit – já em sua quarta edição, nos dias 5 e 6 em Pequim – e a GRI China-Latam Infra Week – entre os dias 7 e 9 na capital chinesa e em Xangai.

Entre as atividades da semana, a delegação do GRI Club Infra, composta por 25 participantes, esteve no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Huawei, localizado em Pequim. No local, o grupo foi recebido por especialistas da empresa de tecnologia e conheceu detalhes do que há de mais inovador no mercado de redes 5G, smart cities e também devices dedicados a consumidores, outra área de forte atuação da marca. 

Com mais de 190 mil funcionários, dos quais 80 mil são dedicados ao setor de pesquisa e desenvolvimento, a Huawei destina hoje 15% de seu faturamento à área de P&D. "Além de entender a atual fase da companhia e os investimentos em P&D, os membros da comitiva do GRI Club tiveram a oportunidade de conhecer diversas soluções inovadoras, a exemplo da tecnologia 5G, que ainda não chegou ao Brasil", conta Pedro Nicolau, líder global do GRI Club para o setor de Infraestrutura.

O futuro das cidades

Um dos destaques da visita foi a área dedicada a soluções para as chamadas cidades inteligentes. "Tivemos a oportunidade de conhecer o Centro de Controle e Operações de Shenzhen, monitorado em tempo real com o que há de mais moderno em tecnologia para smart cities", continua Nicolau.

Localizada ao sul da China e com 12 milhões de habitantes, Shenzhen é um modelo que inspira outras metrópoles em todo o mundo. Conhecida como a 'cidade do futuro' e também o 'Vale do Silício do hardware', a metrópole chinesa é totalmente planejada e gerenciada por meio de tecnologias da Huawei, incluindo semáforos inteligentes, coleta de dados por meio de dispositivos tecnológicos, monitoramento de vias em tempo real etc. 

"Pudemos promover uma experiência interessante aos participantes da semana de visitas técnicas. Vimos o que há de inovador e pode ser aplicado no futuro nos mais diversos segmentos – como o portuário, rodoviário, ferroviário e também as soluções de mobilidade urbana – na América Latina. Foi um momento indescritível", considera o executivo do GRI Club, que acompanhou a missão. 

Em busca da liderança

Fundada em 1987, a Huawei – que é líder em vendas de smartphones na China e uma das principais do mundo – tem crescido de forma acelerada em diversos países do globo. Hoje, a companhia atua em distintas frentes – além dos produtos para consumo, desenvolve também tecnologias da rede 5G, Internet das Coisas (IoT) e inteligência artificial (AI), entre outras inovações. 

Em meio a sanções americanas, a companhia mantém sua expansão em outros territórios. No início de 2019, foi aberto um centro de cibersegurança em Bruxelas, coração da Europa. 

Presença local

No Brasil, em parceria com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel), a empresa chegou a inaugurar em 2017 um Centro de Desenvolvimento de Competência e Inovação (CIDC, na sigla em inglês), voltado à capacitação e ao desenvolvimento de soluções inovadoras para suprir as necessidades e demandas dos clientes. 

Sem emplacar no País, a companhia deixou de lançar produtos no mercado brasileiro nos últimos anos. Em março de 2019, contudo, anunciou o plano de voltar a competir pelos consumidores brasileiros, em busca da liderança em sua área de atuação.

No último dia 9 de agosto, o plano ganhou mais consistência. Junto ao governador do Estado de São Paulo, João Doria, o vice-presidente da Huawei Brasil, Steven Shen, e o diretor sênior de Relações Públicas e Governamentais, Atilio Rulli, anunciaram, em Xangai, a instalação de uma nova fábrica em solo paulista. Atualmente, a companhia possui uma instalação em Sorocaba, município do interior do Estado. 

Segundo o governo de São Paulo, a escolha exata do novo local será feita nos próximos meses, a partir das circunstâncias de logística, disponibilidade de mão de obra, condições técnicas de implantação do novo site e da nova fábrica. O investimento será de US$ 800 milhões entre 2020 a 2022.

Acompanhado de uma comitiva formada por Henrique Meirelles, secretário de Fazenda e Planejamento, Patrícia Ellen, secretária de Desenvolvimento Econômico, e Julio Serson, secretário de Relações Internacionais, Doria realizou uma missão à China entre 05 e 11 de agosto. Entre os seus compromissos, teve destaque a participação no GRI China-Latam Infrastructure Summit, em que apresentou o portfólio de projetos de seu Estado a potenciais investidores chineses. 


GRI China-Latam Infra Summit & Week 2020

GRI China-Latam Infra Summit & Week

Em 2020, o GRI Club Infra volta à China. Já está confirmada a 5ª edição do GRI China-Latam Infrastructure Summit em Pequim. Para a GRI China-Latam Infra Week, foi anunciada a ida a Shenzhen, onde os participantes vão conhecer de perto os maiores avanços para o futuro das cidades. O foco da semana será, particularmente, a tecnologia.

 
Related News
←  SHARE
Infrastructure
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message