Crédito: GRI Club/ Flávio Guarnieri
Português

Henrique Meirelles detalha programa de desestatização de SP

10 MIN READJune 26, 2019
O programa de desestatização do Estado de São Paulo está avançando de forma acelerada e novas oportunidades em concessões e privatizações devem ser anunciadas, "sempre na linha de privatizar e trazer capital privado para alavancar o desenvolvimento do Estado", afirmou Henrique Meirelles, secretário de Fazenda e Planejamento da administração João Doria, em entrevista ao GRI Hub.

"Estamos avançando de acordo exatamente com o previsto. Já definimos as regras para a concessão da rodovia que sai de Piracicaba e vai até Panorama, na divisa com o Paraná – são cerca de 1000 quilômetros. Uma parte já estava privatizada, mas será renegociada e incluída na concessão como um todo", conta o ex-ministro da Fazenda e ex-presidente do Banco Central.

Anunciada em 15 de fevereiro, a cessão do lote – operado pela Centrovias e que ligará a região de Piracicaba até Panorama, no extremo oeste paulista, limítrofe ao Mato Grosso do Sul – será a maior do Estado. O projeto prevê investimentos de cerca de R$ 9 bilhões nos 30 anos do contrato, com obras de ampliação e modernização. 

Nesta terça-feira (25 de junho), em evento na capital paulista, Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo, confirmou a aprovação da concessão rodoviária, com 1.201 km, cortando SP de leste a oeste. "O edital sai até o final de julho, com inovações em tarifas de pedágio e investimentos", reiterou ele em rede social.

Segundo Meirelles, "esse é primeiro avanço concreto do programa de concessões ao setor privado na estrutura rodoviária de São Paulo" e a programação de concessões está avançando aceleradamente.

O secretário da gestão estadual paulista conversou com a equipe de reportagem do GRI ao participar do GRI Residencial Brasil 2019, evento dedicado aos players do mercado imobiliário que atuam no segmento de moradias. 

Outras privatizações e concessões

Na entrevista, Henrique Meirelles também falou sobre os próximos passos para a transferência da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) à iniciativa privada. "A Ceagesp será transferida mediante uma licitação e a empresa que vencê-la terá a obrigação de construir uma nova Ceagesp na região do Rodoanel de São Paulo com acesso fácil por rodovia, pela cidade inteira."

A ação será possível após o governo federal ceder a companhia pública. "Houve um acordo e o presidente Jair Bolsonaro concordou em fazer uma cessão da Ceagesp para o Estado de São Paulo", recorda Meirelles.

Ainda conforme o secretário, o local das atuais instalações da Ceagesp – maior centro de abastecimento de hortifruti do País – será transformado em um polo de startups, um Vale do Silício paulista, não apenas pelo tamanho da área, mas por estar próximo a reconhecidas instituições de ensino, como a Universidade de São Paulo (USP), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e a Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec). "Será um projeto também de criação de um grande polo de desenvolvimento", por meio de comodato ao setor privado. O cronograma para esse projeto será divulgado nas próximas semanas. 

"Existe uma série de outros projetos em andamento em áreas diversas, sempre na linha de privatizar e trazer capital privado para alavancar o desenvolvimento do Estado", continua Meirelles.

Futuro incerto da Sabesp

Outro tema abordado com o secretário foi o futuro da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), cuja desestatização é anunciada desde o início da atual administração do Estado.

Questionado sobre o impacto das discussões por um novo marco legal do saneamento, após o fim da vigência da Medida Provisória nº 868/2018, Meirelles relatou esperar a versão final do projeto de lei (3.261/2019) apresentado no início de junho pelo senador Tasso Jereissati. "Só aí definiremos qual [será] o modelo ideal para a Sabesp, dentro do novo marco regulatório. Não temos condições de adiantar as condições para o setor privado no momento", diz. 

Boa relação com a Alesp

Motivo de divergências e retirada do PL nº 01/2019 – que determinou a extinção e a fusão de companhias públicas paulistas –, a estatal Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) ainda não tem uma rota traçada. 

"Estamos analisando a possibilidade de fazer a fusão da Dersa com outra empresa ou mesmo aventando hipóteses, como a extinção ou redefinição do papel da empresa", afirma Meirelles. Ele ressalta a importância do ingresso de capital privado para permitir melhor prestação de serviços à sociedade.

Nesse contexto, o ex-ministro considera positiva a relação do Executivo com o Legislativo e acredita que o governo paulista tem "condições de aprovar os projetos fundamentais" na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Confira a entrevista em vídeo

Importância da infraestrutura

Após a entrevista ao GRI Hub, o secretário Meirelles continuou a abordar temas relacionados ao setor de infraestrutura no painel de abertura da 5ª edição do GRI Residencial Brasil. 

"Um dos pontos mais importantes [para o governo do Estado de São Paulo] é a infraestrutura, [visto o alto] custo de logística e do gás, que no Brasil tem um valor várias vezes acima do observado nos Estados Unidos. Temos um programa de concessões de rodovias e ferrovias em conjunto com o governo federal. São cerca de 220 projetos de concessões e privatizações", explicou aos investidores e empresários presentes no encontro. 

Entre os exemplos citados por ele, estiveram a ferrovia que deve interligar São José dos Campos, Jundiaí, Campinas e Americana a São Paulo e o anúncio de pólos de desenvolvimento industrial (clusters). Anunciadas em maio, serão 11 áreas destinadas a saúde e farmacêuticos; metal-metalúrgico, máquinas e equipamentos; automóveis; químicos, borracha e plástico; derivados de petróleo e petroquímicos; biocombustíveis; alimentos e bebidas; têxteis, vestuário e acessórios; couro e calçados; tecnologia, em um pólo chamado tech (agritech, aeroespacial e serviços tecnológicos); e segmento ecoflorestal e produtos ecológicos, com sede no Vale do Ribeira.

Aproximação com a China

Questionado por um dos players presentes sobre a perspectiva a respeito da relação Brasil-China, Meirelles ressaltou a importância do gigante asiático, principal parceiro comercial do País, e falou sobre os acenos de Doria aos chineses. 

O governador paulista irá à China em agosto e participará do GRI China-Latam Infrastructure Summit 2019. Também já anunciou a abertura de um escritório de representação do Estado em Xangai. 

Leia outras notícias sobre as relações entre Brasil e China:


Infra Brazil GRI 2019

Infra Brazil GRI 2019

Nos dias 30 e 31 de outubro, o GRI Club Infra reúne entes públicos e representantes das principais companhias que atuam no setor de infraestrutura brasileiro para analisar o pipeline de projetos da União, estados e municípios, durante o Infra Brazil GRI 2019. 


A conferência chega à sua 5ª edição como a mais renomada plataforma de diálogo entre os setores público e privado a respeito de tópicos estratégicos, buscando constantemente desenvolver soluções para os desafios para o desenvolvimento desse mercado. Confira a programação e como participar.
Related News
←  SHARE
Infrastructure
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message