Eduardo Guardia (BTG Pactual Asset Management)
Crédito: GRI Club/ Flavio Guarnieri
Português

Guardia ressalta importância da agenda de infraestrutura

5 MIN READSeptember 05, 2019

O programa de desestatização e concessões endereçado pelo governo federal, que prevê diminuir o tamanho do Estado e, em larga medida, sua presença em estatais, traz dinamismo e vai impulsionar a retomada de investimentos no Brasil. A análise foi feita por Eduardo Guardia, CEO da BTG Pactual Asset Management e ex-ministro da Fazenda, ao participar do Fórum GRI de Fundos Imobiliários 2019

"É preciso abrir a economia para aumentar a produtividade e a competitividade do País. A questão da privatização é fundamental para a retomada do crescimento e do investimento para a eliminação de gargalos", defendeu. 

Ao traçar um panorama macroeconômico no evento realizado pelo GRI Club em São Paulo, ele ressaltou, porém, que essa retomada não virá do setor público nem do externo.

Segundo a Secretaria Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do governo federal, há potencial para gerar R$ 1 trilhão a partir do programa de desinvestimentos, concessões e privatizações da gestão Bolsonaro. Em junho passado, José Salim Mattar Júnior, titular dessa pasta, apresentou detalhes do portfólio de 133 estatais e 750 mil imóveis públicos, que poderiam ser concedidos à iniciativa privada, representando oportunidades de investimentos a players dos setores imobiliário e de infraestrutura. 

"O Estado que temos tem que ser modificado. Não queremos um Estado desse tamanho, não queremos pagar 42% de tudo o que se produz no Brasil para poder manter essa máquina", enfatizou ele na ocasião.
 

Diminuição do Estado

Para Guardia, esse é um dos pontos fundamentais para uma aceleração econômica nacional. Em sua exposição, o ex-ministro defendeu que não basta apenas realizar a reforma da Previdência. É preciso reduzir o tamanho do Estado, que "ainda tem presença importante em diversas estatais, a exemplo de Petrobras e Eletrobras e do setor de saneamento, áreas que apresentam uma enorme demanda por investimentos, que e o setor público não tem condições de realizar".

"O dinamismo e o crescimento [econômicos] virão de uma combinação do efeito de redução de juros e da continuidade do programa de concessões, que é fundamental", continuou. Entre os exemplos positivos citados por ele, está a desburocratização do setor de óleo e gás

Guardia também reforçou a necessidade de capitalizar a Eletrobras – que tem proposta nesse sentido sendo estruturada no momento. "Ou não haverá possibilidade de investir em energia elétrica", ponderou. 
 

Gaps no saneamento

Outra pauta do mercado de infraestrutura considerada essencial por Guardia é a da universalização do saneamento. "Não é possível um país sem acesso ao sistema de esgoto. É preciso avançar e desburocratizar [o setor]", disse. 

Considerado prioritário para o Poder Executivo, o setor de saneamento é, de fato, um dos mais carentes do País. De acordo com o ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) divulgado em 2019, somente 85 municípios brasileiros cumprem os requisitos na oferta dos serviços básicos à população. 

"O PL do saneamento básico [nº 3261/2019] é fundamental. São R$ 700 bilhões de investimentos possíveis nos próximos anos e cerca de 700 mil empregos potenciais gerados", enfatizou Diogo Mac Cord, titular da Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura/Ministério da Economia, em entrevista concedida anteriormente ao GRI Hub.

"Há uma série de temas em setores relevantes em discussão e sou otimista em relação à capacidade de atração de investimentos", considerou, por sua vez, Eduardo Guardia. Para ele, com a convergência dos fatores citados, cria-se um ambiente dinâmico e que viabiliza novos aportes por parte da iniciativa privada. 

Ao longo de sua abordagem no evento do GRI Club, Guardia falou também sobre a evolução do mercado de capitais e a perspectiva para as distintas indústrias da cadeia produtiva, incluindo o mercado imobiliário.
 

Infra Brazil GRI 2019

Infra Brazil 2019

O programa federal de concessões e desestatização e as potenciais oportunidades de investimentos ao setor privado são temas do Infra Brazil GRI 2019, evento que reunirá os principais players do mercado de infraestrutura e representantes de entes públicos brasileiros. Veja a programação completa da conferência, que ocorre em 30 e 31 de outubro em São Paulo.

Related News
←  SHARE
Infrastructure
GRI
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message