Your application for a Courtesy Membership is under review

We have just received your information and we will get back to you shortly. Check out the steps below:

Information sent


2

Application in analysis


3

Feedback email


4

Complimentary access activated

* Required fields
I confirm that I have read and agree to the Terms and Conditions of GRI Club
Pixabay
Infrastructure

Green bonds continuam crescendo no Brasil

Perspectivas dos títulos verdes são tema do Infra Brazil GRI, que traz discussão sobre project bonds.

2 MIN READ November 08, 2018

O mercado de green bonds, ou seja, project bonds que possuem uma chancela ambiental, continua em crescimento no Brasil. A emissão agregada esperada para 2018 é de cerca de US$ 4,5 bilhões (o equivalente a R$ 16,6 bilhões), superando em 22,6% o volume do ano anterior, informa a organização global sem fins lucrativos Climate Bonds Initiative (CBI), parceira do GRI Club.

A entidade, que prepara atualmente um relatório sobre as emissões verdes em todo o mundo, também anunciou ao GRI Hub com exclusividade, antecipadamente, a previsão de emissão anual global, entre R$ 739 bilhões e R$ 832 bilhões (originalmente US$ 200 bilhões e US$ 225 bilhões). Aqui, novamente há aumento significativo em relação ao valor de 2017, de R$ 595 bilhões (US$ 161 bilhões). Inicialmente, a estimativa para 2018 era de até R$ 924 bilhões (US$ 250 bilhões), mas foi revisada para baixo, após a conclusão do primeiro trimestre do ano.

Meta de US$ 1 trilhão até 2020

Em seu 6º Relatório Anual de Balanço do Mercado, publicado em 2017 e que deve ter uma atualização lançada em novembro deste ano, a CBI indicava que os títulos verdes emitidos por empresas brasileiras atingiram US$ 3,67 bilhões (R$ 13,6 bilhões). Na ocasião, a chegada desse instrumento ao País e suas perspectivas de consolidação foram tema de uma reportagem da GRI Magazine.

A entidade também reforça a necessidade de aumentar o volume desse instrumento de funding para obras do setor de infraestrutura. "Continuamos com a nossa visão de que a emissão de títulos verdes globais precisa dobrar e dobrar novamente a cada ano se quisermos atingir a meta de US$ 1 trilhão [R$ 3,7 trilhões] em financiamento verde até 2020 e fornecer uma base para os níveis de investimento de que precisaremos neste período", declara, em nota.

Outro ponto defendido pela CBI é que o "investimento verde não é apenas uma forma de mitigar a desaceleração do crescimento de emissões, mas também permite um nível de infraestrutura resiliente e adaptável ao clima, necessária para caminhos de desenvolvimento sustentável nas economias emergentes e em áreas de população crescente e megacidades emergentes na Ásia, África e América do Sul".

Leia mais sobre esse tema:
Project bonds: caminho para superar gaps de infraestrutura?
Green bonds começam a ganhar mercado no Brasil
Debêntures de infraestrutura: avanços e desafios
 

Infra Brazil GRI 2018

O mercado de green bonds e como explorá-lo será um dos tópicos em pauta na sessão sobre project bonds que acontece no Infra Brazil GRI 2018. O encontro está marcado para 05 e 06 de dezembro e deve reunir cerca de 300 líderes do setor de infraestrutura, incluindo players dos diferentes segmentos, representantes do governo federal e da equipe de transição da futura administração. 

O evento ocorre justamente após o período eleitoral, com o objetivo de definir uma agenda e estratégias para os próximos anos. Entre os destaques da edição, está a participação de Claudio Frischtak, presidente da consultoria Inter.B, como keynote speaker, e a presença de Dyogo de Oliveira, presidente do BNDES. 

Veja a programação completa do evento

 

Related News