China-Brazil Infrastructure Summit 2016São Paulo, 23 de Novembro 2016

Overview

Em 23 de novembro, o GRI promoveu o primeiro China-Brazil Infrastructure Summit, numa parceria com a Associação Brasileira de Empresas Chinesas (Abec) e o Conselho Chinês de Promoção ao Comércio Internacional (CCPIT). O encontro, realizado no complexo Sheraton São Paulo WTC, reuniu mais de 150 players de infraestrutura de ambos os países para debater os principais temas necessários ao avanço de parcerias e estreitar relacionamentos com vistas à geração de negócios.

Durante todo o dia, os presentes se revezaram entre oito salas de discussão, rodadas de negócios e muito espaço para interação informal. Em pauta, o apetite chinês para investimento em infraestrutura no Brasil no atual contexto, perspectivas de funding e oportunidades nas áreas de energia, porto, ferrovias, rodovias, aeroportos, saneamento e infraestrutura social.

Na abertura do encontro, um talk show com Song Yang, cônsul geral da China, Zhang Guanghua, presidente da Abec e vice-presidente do Bank of China no Brasil, e Valdemar Carneiro Leão, ex-embaixador do Brasil na China. Eles reforçaram as boas relações entre os dois países e a disposição chinesa para acrescentar investimentos aqui, particularmente em infraestrutura.

Outro destaque da programação foi a apresentação, em primeira mão, de uma pesquisa realizada pelo GRI com mais de 70 empresários e investidores de Brasil e China. A sondagem mostrou, entre outros aspectos, que os segmentos de infraestrutura no País que mais interessam aos chineses no momento são ferrovias (61,5%), portos (52,3%) e energia (geração: 49.2%, transmissão: 43.1% e distribuição: 29.2%). Uma fatia expressiva, de 23,1%, apontou que todos os segmentos são atrativos.

Participaram do China-Brazil Infrastructure Summit nomes como Antonio Gobbo (Construtora Queiroz Galvão), Bruno Barretto (Eletronuclear), Bruno Constantino (XP Investimentos), Carlos Parcias (CPFL Energia), Cheryl Hanway (IFC), Erik Breyer (Invepar), Ernesto Meyer (BNP Paribas), Du Xiaosong (PowerChina), Hsinhsin Lin (CRCC - China Railway Construction Corporation), Huang Chieh (XCMG), João Meirelles (China Three Gorges), Julian Zhu (ICBC Industrial and Commercial Bank of China), Kléber Costa (Statkraft), Leonardo Vianna (CCR), Liu Huiying (China Telecom), Lucas Fan (CGGC China Ghezouba Group Corp.), Marcelo Martins (Elecnor), Marco de Carvalho (Barclays do Brasil), Marcos Meirelles (Rio Energy), Miguel Lins (Haitong Banco de Investimento), Sandoval Feitosa Neto (ANEEL), Shanxiang Wang (Nari Brasil), Silvia Wada (EDP), Wang Yuanhang (State Grid), Zhang Guanghua (Bank of China), entre outros.

Organizadores

 

O China-Brazil Infrastructure Summit não é uma conferência tradicional com palestras e apresentações. Trata-se de um encontro diferenciado para um público único: decisores do setor de infraestrutura.

O modelo é baseado em diálogos e grupos de discussões informais e simultâneas, dos quais todos participam, priorizando os temas mais relevantes para o seu negócio. Tendo em vista o nível dos participantes, a troca de ideias se mostra muito proveitosa.

Ao estimular o diálogo constante, o formato especial do GRI, aplicado com sucesso em cerca de 20 países, facilita o relacionamento, a geração de novos negócios e o compartilhamento de experiências.

Além do GRI, na organização deste encontro, o China-Brazil Infrastructure Summit 2016 conta com o apoio de duas importantes instituições chinesas, reconhecidas por seu governo para atuação no Brasil.

Associação Empresas Chinesas no Brasil

Entidade vinculada à Embaixada da China no Brasil e a seu Departamento Econômico e Comercial, a Associação Brasileira das Empresas Chinesas (ABEC) foi fundada em julho de 2014. Reúne, além de empresas, instituições, grupos sociais e organizações da China - já registrados ou em vias de oficialização no Brasil - que têm como objetivo desenvolver relações comerciais e de investimento entre os dois países. Sempre respeitando a legislação brasileira, a ABEC visa a promover o intercâmbio e a cooperação de seus associados com órgãos governamentais e empresários brasileiros e incentivar o desenvolvimento dos negócios de seus membros garantindo-lhes, no processo, a capacidade de autogestão. Também se propõe a fornecer serviços e assessoria e, ainda, a apresentar as reivindicações e a defender os interesses legítimos de seus associados.

Os 70 membros da ABEC cobrem a maioria das mais importantes empresas chinesas com presença no Brasil. O ICBC do Brasil Banco Múltiplo assumiu a primeira presidência, e o atual presidente é o Banco da China Brasil. O secretariado da Associação, por sua vez, ficou a cargo do Conselho Chinês de Promoção de Comércio Internacional no Brasil.

Desde que foi criada, a ABEC vem trabalhando intensamente para assessorar empresas chinesas e brasileiras, fomentar sua cooperação e atuar como sua representante. Entre 2014 e 2016, organizou mais de 60 atividades (entre palestras, treinamentos, colóquios e feiras),tornando-se uma entidade representativa com grau crescente de influência e um verdadeiro porto seguro para empresas chinesas.

Por fim, a ABEC reafirma sua total disposição em trabalhar em parceria com todos, no intuito de impulsionar as relações econômicas e comerciais entre a China e o Brasil e aprofundar a amizade que une seus povos!

Conselho Chinês de Promoção ao Comércio Internacional

Fundado em 1952, o Conselho Chinês de Promoção ao Comércio Internacional (CCPIT) é uma agência nacional de promoção ao investimento e às transações comerciais internacionais cujas principais responsabilidades incluem:

  • implementar estratégias de desenvolvimento nacional para promoção do comércio exterior e de investimentos e cooperações bilaterais nos setores econômico e tecnológico;
  • avançar na cooperação com instituições afins em outros países;
  • acolher importantes delegações estrangeiras;
  • organizar delegações chinesas para missões ao exterior e preparar comitivas chinesas para participar de feiras, exposições, fóruns e conferências internacionais;
  • gerenciar exposições no exterior organizadas por agências chinesas;
  • envolver-se nos assuntos do Bureau Internacional de Exposições (BIE) e da World Expo em nome do governo chinês;
  • representar a indústria e o comércio chineses em nível internacional, participando da formulação de políticas e regras do setor, além de negociações;
  • realizar consultoria jurídica, conciliação comercial, arbitragem marítima e de negócios;
  • emitir certificados de origem para produtos de exportação e outros documentos referentes ao comércio exterior e prestar serviços de propriedade intelectual (pedidos de patente, registro de marca, litígios e direitos de salvaguarda);
  • orientar indústrias e empresas para enfrentar disputas comerciais;
  • fornecer informações, treinamento, etc.

O escritório do CCPIT no Brasil tem como compromisso promover o desenvolvimento das relações de comércio e investimento entre a China e o Brasil, estabelecer pontes para intercâmbio e cooperação entre empresários dos dois países, assessorar as empresas bilaterais e levar adiante suas reivindicações, organizar diversas formas de atividades, em diversos níveis, com o intuito de contribuir positivamente para as relações comerciais bilaterais, a prosperidades das duas economias e o bem-estar de todos os envolvidos.

Temas
Manhã
Investimento Chinês no Brasil - Qual o apetite frente aos desafios enfrentados pelo país?
  • O que esperar dos projetos disponibilizados para concessão?
  • Brownfield vs Greenfield - quais projetos de fato terão envolvimento chinês?
  • Quais setores oferecem os melhores retornos e oportunidades?
Tarde
Geração de Energia - Onde estão as melhores oportunidades de investimentos?
  • Greenfield é uma realidade para players chineses?
  • Onde estão as oportunidades para consolidação e M&A?
  • Quais fontes de energia são mais atrativas?
Investimentos no setor portuário - Para onde vai a maré?
  • Arrendamento vs TUP - qual modelo ideal?
  • Quais regiões serão prioritárias?
  • Parceria entre players nacionais e chineses, funcionará?
Rodovias e Aeroportos – pista livre para participação chinesas nas novas rodadas de concessões?
  • Quais questões precisam ser solucionadas para atrair o investimento chinês?
  • Quais são as oportunidades mais palatáveis no menu de concessões?
  • Qual perfil dos projetos demandados e riscos analisados?
Ferrovias - Necessidade logística vs incertezas institucionais
  • Quais trechos serão viáveis para concessão?
  • Escoamento de commodities e novos projetos - Aliança ideal para destravar os investimentos?
  • Bioceância é um projeto viável?
Saneamento e Infraestrutura Social - Agora vai?
  • O que podemos aprender com a experiência chinesa?
  • O que de fato o Brasil tem a oferecer para estas parcerias, e quais os melhores modelos de negócios?
  • Quais regiões possuem maior potencial para atração de investimentos?
Transmissão - Ainda a estrela do setor ou projetos escassos?
  • Novas linhas de transmissão - Onde teremos novos leilões?
  • Risco / retorno do setor - Ainda uma balança positiva?
Funding - Realidade palpável ou muitas incertezas?
  • Brazil-China Cooperation Fund for Increasing Productive Capacity - Viável aos projetos de concessões brasileiras?
  • Haverá funding de outras instituições financeiras da China?
Agenda

Manhã

08h00 - 09h00 | Credenciamento


09h00 - 10h00 | Abertura / Keynote com Autoridades Brasileiras e Chinesas


10h00 - 10h30 | Coffee break


10h30 - 11h30 | Discussões


11h30 - 12h00 | Coffee break

Tarde

12h00 - 13h00 | Discussões / Discussions


13h00 - 14h30 | Almoço / Lunch


14h30 - 15h30 | Discussões / Discussions


15h30 - 16h00 | Coffee break


16h00 - 17h00 | Discussões / Discussions


17h00 - 18h00 | Closing Drinks

Co-organizador

Associação Empresas Chinesas no BrasilCCPIT

Program Sponsor

Warde AdvogadosABBMachado MeyerMattos Filho AdvogadosTrench Rossi & Watanabe Advogados

Lunch Sponsor

Construtora Queiroz Galvão

Associação Empresas Chinesas no Brasil

Entidade vinculada à Embaixada da China no Brasil e a seu Departamento Econômico e Comercial, a Associação Brasileira das Empresas Chinesas (ABEC) foi fundada em julho de 2014. Reúne, além de empresas, instituições, grupos sociais e organizações da China - já registrados ou em vias de oficialização no Brasil - que têm como objetivo desenvolver relações comerciais e de investimento entre os dois países. Sempre respeitando a legislação brasileira, a ABEC visa a promover o intercâmbio e a cooperação de seus associados com órgãos governamentais e empresários brasileiros e incentivar o desenvolvimento dos negócios de seus membros garantindo-lhes, no processo, a capacidade de autogestão. Também se propõe a fornecer serviços e assessoria e, ainda, a apresentar as reivindicações e a defender os interesses legítimos de seus associados.

Os 70 membros da ABEC cobrem a maioria das mais importantes empresas chinesas com presença no Brasil. O ICBC do Brasil Banco Múltiplo assumiu a primeira presidência, e o atual presidente é o Banco da China Brasil. O secretariado da Associação, por sua vez, ficou a cargo do Conselho Chinês de Promoção de Comércio Internacional no Brasil.

Desde que foi criada, a ABEC vem trabalhando intensamente para assessorar empresas chinesas e brasileiras, fomentar sua cooperação e atuar como sua representante. Entre 2014 e 2016, organizou mais de 60 atividades (entre palestras, treinamentos, colóquios e feiras),tornando-se uma entidade representativa com grau crescente de influência e um verdadeiro porto seguro para empresas chinesas.

Por fim, a ABEC reafirma sua total disposição em trabalhar em parceria com todos, no intuito de impulsionar as relações econômicas e comerciais entre a China e o Brasil e aprofundar a amizade que une seus povos!

CCPIT

Fundado em 1952, o Conselho Chinês de Promoção ao Comércio Internacional (CCPIT) é uma agência nacional de promoção ao investimento e às transações comerciais internacionais cujas principais responsabilidades incluem:

  • implementar estratégias de desenvolvimento nacional para promoção do comércio exterior e de investimentos e cooperações bilaterais nos setores econômico e tecnológico;
  • avançar na cooperação com instituições afins em outros países;
  • acolher importantes delegações estrangeiras;
  • organizar delegações chinesas para missões ao exterior e preparar comitivas chinesas para participar de feiras, exposições, fóruns e conferências internacionais;
  • gerenciar exposições no exterior organizadas por agências chinesas;
  • envolver-se nos assuntos do Bureau Internacional de Exposições (BIE) e da World Expo em nome do governo chinês;
  • representar a indústria e o comércio chineses em nível internacional, participando da formulação de políticas e regras do setor, além de negociações;
  • realizar consultoria jurídica, conciliação comercial, arbitragem marítima e de negócios;
  • emitir certificados de origem para produtos de exportação e outros documentos referentes ao comércio exterior e prestar serviços de propriedade intelectual (pedidos de patente, registro de marca, litígios e direitos de salvaguarda);
  • orientar indústrias e empresas para enfrentar disputas comerciais;
  • fornecer informações, treinamento, etc.

O escritório do CCPIT no Brasil tem como compromisso promover o desenvolvimento das relações de comércio e investimento entre a China e o Brasil, estabelecer pontes para intercâmbio e cooperação entre empresários dos dois países, assessorar as empresas bilaterais e levar adiante suas reivindicações, organizar diversas formas de atividades, em diversos níveis, com o intuito de contribuir positivamente para as relações comerciais bilaterais, a prosperidades das duas economias e o bem-estar de todos os envolvidos.

Warde Advogados

Infraestrutura e Financiamento

A equipe de Warde Advogados assessora bancos/sindicatos e empresas nacionais e estrangeiras em project finance, financiamento para capital de giro, refinanciamento e na preparação e negociação de contratos relacionados a projetos de infraestrutura (e.g., EPC e O&M). Nossa equipe também assessora empresas nacionais e estrangeiras em licitações, empréstimos “cross-border”, aquisição de ativos em cenário de estresse, em aspectos regulatórios e auditoria jurídica de projetos de infraestrutura.

Nossos profissionais são altamente qualificados e combinam a prática com um fluxo continuo de trabalho acadêmico, tendo desenvolvido projetos com relevantes entes governamentais (“Plano de Salvamento do Projeto Nacional de Infraestrutura”) e sendo coautores de projetos de lei (Lei No. 4.303 - “Regime da Sociedade Anônima Simplificada”) tendo publicado diversos livros e artigos, fornecendo material útil a profissionais de direito e autoridades.

ABB

A ABB (ABBN: SIX Swiss Ex) é líder pioneira de tecnologia em produtos para eletrificação, robótica e motion, automação industrial e power grids, servindo clientes industriais, concessionárias, transporte e infraestrutura de forma global. Por mais de quatro décadas, a ABB tem escrito o futuro da digitalização industrial e está posicionada de forma ideal para se beneficiar da Quarta Revolução Industrial e de Energia. A ABB opera em mais de 100 países com cerca de 135.000 funcionários.


Machado Meyer

We have been building our history for 45years, inspired by sound ethical principles, the technical skills of our professionals, and a close relation with our clients. We are ranked as one of the major law firms in Brazil, with over 700professionals. Our focus: business. We provide innovative legal solutions that anticipate scenarios and make business possible. In other words,we work to offer intelligent legal solutions that contribute to the business growth of our clients and transform realities

Mattos Filho Advogados

O Mattos Filho é um escritório estruturado para atender os clientes de maneira coordenada e integrada. Tem posição de destaque em mais de 30 áreas do Direito e trabalha para que todas sejam referência no mercado. Desenvolve constantemente suas práticas e, simultaneamente, busca criar novas frentes de atuação. Representa empresas nacionais e internacionais, instituições financeiras, investidores, agências multilaterais, fundos de investimento, fundos de pensão, companhias de seguro e resseguro, e organizações sem fins lucrativos. Localizado em São Paulo, possui também escritórios no Rio de Janeiro, em Brasília, Nova York e Londres.


Trench Rossi & Watanabe Advogados

Construtora Queiroz Galvão

A Construtora Queiroz Galvão deu origem a um dos maiores e mais sólidos conglomerados empresariais da América Latina. A qualidade das obras, aliada ao compromisso com as entregas dos empreendimentos de grande complexidade, zeram da CQG referência nacional e internacional em soluções de engenharia.

A partir de uma estratégia estruturada de relacionamento de longo prazo com investidores e corporações da China, iniciada há sete anos com o Escritório de Negócios em Shanghai, a Construtora consolidou-se como um dos mais eficientes e confiáveis parceiros para o desenvolvimento da infraestrutura no Brasil.

Com um programa de compliance cada vez mais robusto, a CQG acaba de se tornar a primeira empresa do segmento no País a obter a certificação ISO 37.001:2016 – Sistema de Gestão Anti-suborno, o que reforça nosso compromisso com as boas praticas de mercado.

A CQG promove com frequência análise dos riscos, bem como o monitoramento e auditoria das ações implantadas.
Monday to Friday - 8:30 a.m. to 6:00 p.m.
Send message
X
Privacy policy and how we use cookies
We use cookies to give you the best experience on our website.
By continuing we'll assume you're on board with our privacy police
Accept and hide this message